segunda-feira, 24 de maio de 2010

* Asas quebradas *

recolhi minhas asas
as guardei no baú
onde vivem teias amorfas
as cobri com a leveza da seda

com o veludo de pétalas de rosas
(hoje) sou pássaro ferido
insensivelmente abatido
vaso de barro trincado
em pedra fria esculpido

quero voar novamente
levar em minhas asas
alguma semente
de esperança, de amor
vida em botão de flor

quero arejar em minhas asas
antigos versos rimados
sentimentos alados
poesia cantada solfejada

decido abrir o baú
tapar as narinas
ao cheiro acre
do bolorento destino

quero remover o lacre
ouvir o badalar do sino
permito que o oleiro
repare o vaso
conserte as asas quebradas

encontro novas moradas
sou de novo
fluidez em poesia
em versos ritmados
em rimas cantadas

Úrsula Avner


* esse poema foi um dos primeiros que compus e é dedicado á talentosa e querida amiga Glória Salles
* imagem do google- desconheço a autoria

13 comentários:

  1. Oi Úrsula!
    Como envolve o leitor seus poemas.
    Belíssimas asas!
    Bjs da Guerreira

    ResponderExcluir
  2. Seus versos sempre nos levam ao dsconhecido que existe dentro de cada um de nós...

    Adentramos dentro do mesmo e através de suas palavras nos vemos diante de algo que está presente em todos nós...

    abraço e agradecido pela visita ao Rembrandt

    ResponderExcluir
  3. Todo un placer pasar a leerte siempre con mucho aprecio...

    Un abrazo
    Saludos fraternos...

    ResponderExcluir
  4. Suas palavras dançam em rimas.

    Que lindo, Úrsula.

    Beijo imenso, menina linda.

    Rebeca

    -

    ResponderExcluir
  5. Quem já começa voando assim, estará sempre no alto!

    Beijo, querida.

    ResponderExcluir
  6. Úrsula querida!

    Você sempre foi e será a fluidez da poesia! É belo seu lirismo e muito bom ler seus versos!

    Parabéns!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  7. "... encontro novas moradas
    Sou de novo
    fluidez em poesia
    em versos ritmados
    em rimas cantadas"

    Bravíssimo! Salve!
    Salve, salve, poeta!
    Força de querer, eterno canto de ser
    Luz a emergir-se, na força da própria luz
    SALVE!

    ResponderExcluir
  8. oi úrsula,
    que lindo, amiga
    eu vivo a voar.
    aqui tudo é magico.
    lindo dia com bjos.

    ResponderExcluir
  9. Passei para deixar o meu bom dia, com amor e poesia:

    "Aos pássaros Deus deu o vôo e o canto, aos que amam Ele dá o sonho e o encanto. Quem ama de verdade não consegue voar,porém de tão leve espírito, chega até a flutuar"

    ©Valter Montani

    ResponderExcluir
  10. O fascínio de ter asas!
    Um belo poema...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Aiiiiii que lindíddima poesia...
    Voa, anjo! Voa e voa alto!
    Toma as tuas asas e simplesmente VOE!
    Assim teremos sempre o encanto dos seus versos!

    Foi bom ter passado por aqui para receber esse carinho na alma!

    Um beijo enorme nesse coração bonito!

    Milla

    ResponderExcluir
  12. Queres voar novamente e fazes muito bem.
    Porque enquanto as tuas asas estiverem recolhidas os teus horizontes são necessariamente limitados.
    Querida amiga, o teu poema é excelente. Gostei muito das tuas belas palavras.
    Bom fim-de-semana.
    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Queridos amigos e amigas, agradeço imensamente o carinho de cada um (a) de vocês aqui no me cantinho. UM abraço com sabor de amizade.

    ResponderExcluir