quarta-feira, 11 de maio de 2011

* No fim do dia *

fonte da imagem : Google

sombra
derramada na calçada
agoniza
pálida desavisada
tomba a noite
feito cascata
em pedra firme
vem em canção
de açoite
porque anoitecer
é parto
dor e deslumbramento
eis que parto
não sei pra onde
sobre mim
deita o firmamento

Úrsula Avner

Oi Jacqueline Rolim, você deixou um comentário muito amável nesta postagem mas sem querer eu o exclui. Se puder postá-lo novamente agradeço muito. Bj.

14 comentários:

  1. Um lindo poema repleto de inspiração, parabéns poetisa.

    ResponderExcluir
  2. [da sombra, da parte dorida do corpo que nos acompanha, em silêncio, que por momentos poderia partir, num apartar sem dor]

    um abraço, Úrsula

    LB

    ResponderExcluir
  3. Vc tem sempre um jeito de jogar com as palavras de forma leve, mesmo na poesia densa, que exclama algo partido dentro de nós. Lindíssimo!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  4. Sé que paso poco tiempo por tu espacio, por los blog.
    Lo siento pero siempre disfruto de tu espacio..

    Te dejo un abrazo
    Con mis
    Saludos fraternos de siempre..

    Que disfrutes del fin de semana....

    ResponderExcluir
  5. as dores do parto: ao que chega ao que vai


    beijo

    ResponderExcluir
  6. O fim do dia é sempre um motivo de encantamento. Lindo, Úrsula.

    Beijos

    ResponderExcluir
  7. O encantamento

    é a todo o momento!


    Bjjjsss

    ResponderExcluir
  8. Fim do dia sempre tem algo a mais que encanta . Adorei conhecer seu blog. Um Abraço!

    ResponderExcluir
  9. Belíssimo Úrsula, algumas das suas poesias despertam coisas em mim que nem sei comentar :)

    bjs

    ResponderExcluir
  10. UAU! Um deslumbre de poesia! Seria bom que esse encantamento fosse da noite, mas é seu, Úrsula!

    Bravíssimo!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  11. Como sempre, você nos prresenteia com belos versos. Parabéns Ursula!
    Tenha um ótimo fim de semana

    ResponderExcluir
  12. Olá, desculpe invadir seu espaço assim sem avisar. Meu nome é Fabrício e cheguei até vc através do Blog Machado de Carlos. Bom, tanta ousadia minha é para convidar vc pra seguir meu blog Narroterapia. Sabe como é, né? Quem escreve precisa de outro alguém do outro lado. Além disso, sinceramente gostei do seu comentário e do comentário de outras pessoas. Estou me aprimorando, e com os comentários sinceros posso me nortear melhor. Divulgar não é tb nenhuma heresia, haja vista que no meio literário isso faz diferença na distribuição de um livro. Muitos autores divulgam seu trabalho até na televisão. Escrever é possível, divulgar é preciso! (rs) Dei uma linda no seu texto, vou continuar passando por aqui...rs

    Narroterapia:

    Uma terapia pra quem gosta de escrever. Assim é a narroterapia. São narrativas de fatos e sentimentos. Palavras sem nome, tímidas, nunca saíram de dentro, sempre morreram na garganta. Palavras com almas de puta que pelo menos enrubescem como as prostitutas de Doistoéviski, certamente um alívio para o pensamento, o mais arisco dos animais.

    Espero que vc aceite meu convite e siga meu blog, será um prazer ver seu rosto ali.

    Abraços

    http://narroterapia.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. Agradeço cada palavra de carinho aqui postada pelos amigos e visitantes. Um abraço caloroso a cada um (a).

    ResponderExcluir