domingo, 2 de agosto de 2009

* Borda(da) *




transborda sonho

na borda da alma

mulher borda flores

agulha pano linha

destreza na palma

na borda da janela

borboleta observa


Úrsula Avner


* poesia com registro de autoria

* imagem retirada do Google imagens

19 comentários:

  1. Belo e perspicaz jogo de palavras, Úrsula! ;)

    Bjs

    ResponderExcluir
  2. Gostoso de se ler...é manso...doce!!!!

    ResponderExcluir
  3. Úrsula,

    Que suavidade...como uma borboleta.

    Sou mesmo sua fã de carteirinha.
    Boa semana. Bjão

    ResponderExcluir
  4. Lindas as suas últimas escritas, Úrsula. Parabéns!

    Mas, venho para viabilizar um convite do Maria Clara: simplesmente poesia. Poderia me fornecer o seu e-mail através deste contato?

    Mariaclara.pimenta@yahoo.com.br

    Aguardo a sua comunicação.

    Beijos,
    H.F.

    ResponderExcluir
  5. Volto para corrigir o endereço de e-mail (mariaclara.pimenta@yahoo.com.br); e acrescentar que, além da beleza do poema, essa imagem de borboleta é uma das mais belas que já vi.

    Beijos :)
    H.F.

    ResponderExcluir
  6. Úrsula,

    Só mesmo um poeta para dar alma a uma borboleta.

    Você conseguiu, querida!

    Belo!

    Beijo,
    Inês

    ResponderExcluir
  7. Tão concreta, quanto bela ! - Aqui conhecendo seu Blog, muito bem cuidado ! - Parabéns !

    ResponderExcluir
  8. Se seu texto reflete vc...
    És uma mulher calma, doce e leve...
    Como a borboleta que observa? rs

    ResponderExcluir
  9. Esta borboleta Úrsula, está fazendo o que a maioria dos seres humanos, não faz.

    Exlico:em geral, olhamos para a janela, seus portais, seus vidros embassados ou não, a beleza das sua cortinas, enfim...

    E ao invés de olharmos a janela, todos nós deveríamos olhar através da janela, pois é lá fora que,"transborda sonho, na borda da alma".

    Transborda sonho ou secam-se as ilusões,fantasias viram poeiras,planos não se realizam e a borda das nossas almas perdem a simetria da leveza estética e sua linearidade, transformando-se em dentes de serra, tal qual serrote que decepa impiedoso o tronco da árvore da vida.

    Sua poesia é tão mineira, tem gosto de tutu com coxas de galinha caipira, e a inevitável e
    cortadinha, couve, espalhada por cima!

    Bem,se tiver uma boa cachacinha como aperitivo, então é o manjar dos deuses (rsrs).

    Conheço muito das Minas Gerais, não conhecia você.

    Agora conheço tudo das Minas Gerais.


    Ao ter morrido para a ignorância de não tê-la
    conhecida a mais tempo, lembrei-me da frase que diz:

    "O que para a lagarta é o fim do mundo, para Deus é o nascimento da borboleta".

    E creia, esta é a sua borboleta, a borboleta da sua poesia na janela,que me vendo pássar lá fora e indiferente, atraiu-me para este blog, do qual agora serei seguidor.

    Obrigado pelo momento e um abraço carioca.

    ResponderExcluir
  10. lindissimo esse poema! adorei!!!
    bjss

    ResponderExcluir
  11. lindamente belo! desculpe o sumiço estava viajando de férias com a minha filhota e marido! venha conferis os novos post e as fotos das férias que foram marailhosas! bjsssssssss

    ResponderExcluir
  12. nesta casa mora o verso
    casa caiada: tecida poesia.
    Lindo, Úrsula. Também "curto poemas curtos"...
    beijo.

    ResponderExcluir
  13. Lindamente costurado no Poema a sutil Poesia que a Alma demarca e borda com em florais... É uma maravilha te visitar, sabemos que aqui teremos acalantos para o coração!!! Beijos Amiga Poetisa!

    ResponderExcluir
  14. OLÁ!
    Gostei muito de seu blog, pois os posts são muito inteligentes e tem belas imagens.Já estou te seguindo e ficaria honrada se me seguisses também.Espero sua visita.

    ResponderExcluir
  15. AMIGA...

    Pυrєzα ѕίgŋίƒίcα ℓυz.
    É qυαŋđσ α αlмα é cαραz đє rєlυzίr
    є єxρrєѕѕαr α вєlєzα ίŋтєrίσr.
    É qυαŋđσ σ вrίlђσ đα αlмα ѕє тσrŋα νίѕíνєl
    ŋα ƒαcє, ŋσ σlђαr є ŋσ ѕσrrίѕσ.
    É qυαŋđσ σ נúвίlσ ѕє мαŋίƒєѕтα ŋσ
    cσмρσrтαмєŋтσ є ŋα αтίνίđαđє đє αlgυéм.
    É qυαŋđσ α νєrđαđє rєѕρlαŋđєcє.

    BEIJO NA ALMA...

    ResponderExcluir
  16. Úrsula,

    já estabeleci o contato, peço que verifique a sua caixa de e-mail.

    Aguardo a sua comunicação.

    Beijos :)
    H.F.

    ResponderExcluir
  17. Quanta sensibilidade e delicadeza!! Lindo. Bjs carinhosos.

    ResponderExcluir
  18. e eu fico aqui, na borda de minha janela, a espiar sua flor de poesia nascendo...

    beijos...

    ResponderExcluir