domingo, 10 de outubro de 2010

* Esfera muda *

imagem : iceberg
Fonte : Google- sem informação de autoria

quisera escrever sobre o que não é familiar
cansei-me do previsível
almejo versos dos quais eu possa duvidar
mudar de lugar, apagar, inserir no plano invisível

versos que me venham como a luz da aurora
ou despenquem e me cubram como noites escuras
versos não compromissados com prévia estória
que espoquem de águas insanas ou puras

quisera escrever sobre o que não sei
o que sei é tangível, pedra miuda
lubrificado pelo que meditei
ausente do inconsciente, essa esfera muda

Úrsula Avner

22 comentários:

  1. O anseio da poetisa em abarcar o que ainda a ultrapassa...
    É sempre bom lê-la, Ursula!

    beijo :)

    ResponderExcluir
  2. [alma poeta que se pretende tão meramente reflexo, já a parte definida dos mundos inteiros, recriados a cada instante... a mão acompanha a vontade, por certo, se não falha o coração]

    um imenso abraço, Úrsula

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  3. É incrível que você pode fazer um poema mostrando a sua raiva e doce como você diz que é uma mulher sensível e doce que você não pode ajudar

    ResponderExcluir
  4. muito belo seu versejar Úrsula!

    Vieste poeta, querida, sorte a nossa!

    meu afeto

    Lu C.

    ResponderExcluir
  5. Creio que consegues, poetisa; vc vai fundo, é delicadamente generosa com as palavras.

    =)

    ResponderExcluir
  6. Un paso inesperado ante tu espacio, me doblego y acaricio así tu presencia escrita…

    Pido disculpas por mi ausencia y por este pequeño mensaje, que publico en la mayoría de los blog que visito.

    Un abrazo
    Saludos fraternos a todos…

    ResponderExcluir
  7. sua poesia é farta e fala ao coração.

    beijos, flor!

    ResponderExcluir
  8. Amiga querida, passei para deixar-te um abraço.
    Coincidentemente, acabo de escrever algo cujo título é "Não Sei". É essa inquietude que nos invade, extamente ela, que nos empurra assim a um mundo de indagações, insatisfações, gerando em nós a ânsia eterna do querer.Sigamos, amiga.
    Sigamos, na onda incontida das nossas almas insatisfeitas e sedentas de querer e saber.
    Continuaremos, é certo, não sabendo.Continuaremos, é certo, buscando.Mas, continuaremos.Desejo-te Força, Amor, Saúde, Sabedoria e muita PAZ.
    Beijo grande no teu coração.

    ResponderExcluir
  9. Ursula, gostei muito desse poema, parece que é um grito numa noite escura. Vc consegue, pode acreditar. beijo.

    ResponderExcluir
  10. Olá, Úrsula.

    Aqui, conhecendo e apreciando o seu trabalho com as palavras... coisa linda de se ler!

    Vc tem uma sensibilidade marcante... adorei os seus poemas!

    Sigo-te!
    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Úrsula, querida,

    Essa inquietação é a própria alma poética.

    Lindo, como sempre.
    bjsssssss

    ResponderExcluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. Você escreve visivelmente, mas de uma forma à procura do invisível. Pois é, o mundo invisível existe assim como as ondas de rádio, televisão, celular etc. Creio no invisível quando escrevo decassílabos ou alexandrinos, que saem automaticamente da minha mente. Se alguém me pedir para dizer um verso na hora, não saberia lhe dizer. Penso, sinto e escrevo e depois não tenho certeza se escrevi. Conto versos silábicos, quase sempre não há necessidade dessa contagem, pois já nascem prontos. Deve ser à força do invisível.
    Sempre é um grande prazer ler poesias com você!
    Por tudo; — isso me admira muito o concretismo. Quase sempre precisamos desenhar usando palavras. Assim como muitos artistas atiram tintas diretamente à tela, transformando-a numa explosão multicor.

    ResponderExcluir
  14. Tem selos de presente pra você no meu blog
    http://ventosnaprimavera.blogspot.com
    na postagem EU E O IPÊ, passe lá e pegue, beijos

    ResponderExcluir
  15. Úrsula

    Ahhh, esta esfera muda...
    Certamente ela fala através da poesia, penso eu e talvez seja isso que faça a toda a diferença!


    Profunda poesia, faz pensar!


    Bj terno,
    PS: tenho muita afinidade com a tua escrita e, por conseguinte, contigo, minha amiga! Essa sensação me faz muito bem, mesmo sem conhecê-la ou será que já não nos conhecemos antes, quem sabe???? ;)

    ResponderExcluir
  16. Tambem ando um pouco assim...linda sua poesia,Ursula!Diferente e criativa!Bjs,

    ResponderExcluir
  17. Nada aqui é pedra miúda...é tudo imenso em delicadeza, beleza, força!!! Muitos beijos, grande poeta!

    ResponderExcluir
  18. Não daria para fugir do inconsciente, mas o desconhecido não mora sempre ali. O que mais prende a gente em poesia é que ela reproduz o olhar das crianças sobre o mundo.
    Um grande beijo, Úrsula.

    ResponderExcluir
  19. deusmeu, Úrsula...

    esse poema me adivinhou!
    sinto assim, sinto assim!

    agradeço a "tradução"...

    um beijo, grande e querido,

    Talita
    História da minha alma

    ResponderExcluir
  20. Outra nobre poetisa de Beagá. Satisfatorio!!! Tem cinco poemas novos em meu blog http://lenjob.blogspot.com e lhe apresento o Castelo do Poeta, http://castelodopoeta.blogspot.com, um super canal interativo de arte. Me fale o que achou, viu?? Abaixo poema.

    João Lenjob

    Na Nossa Tela
    João Lenjob

    Se quiser o céu numa tela
    Eu o trago até você
    Eu lhe dou pincel, tinta e uma aquarela
    E as cores, dá você
    Venho com estrelas, cometas e uma lua bela
    Mas o sol, traga você.

    Dance no céu, pintando como bailarina
    Que sou platéia pra você
    Seja a pintura mais pura, doce menina
    Que sou menino pra você
    Dê-me o amor da arte mais divina
    E do amor faço você.

    Ame menina, na nossa tela
    Aquarela, eu e você

    Se por acaso alguma cor lhe falta
    Eu faço em verso pra você
    Viro então um poeta astronauta
    E fico no céu pra você
    Enquanto pinta a nossa pauta
    A poesia é feita pra você.

    ResponderExcluir
  21. Maravilha, Úrsula!

    Bem sabes que tudo podes! Vais muito além do que sonhamos ler. SEMPRE!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  22. Agradeço a cada amigo, amiga e visitante que aqui estiveram e registraram seu comentário. Leio cada palavra com carinho e reflexão. Um abraço caloroso a todos e todas.

    ResponderExcluir