domingo, 17 de outubro de 2010

* Vi(pi)ração *



tela : Duy Huynh

na virada do dia
reviro sentimentos
viro a mesa
viro bicho

quando reviro ideias
viro semente
viro o jogo
viro-me
e p(r)onto

Úrsula Avner

* Hoje também tem poema meu lá no Maria Clara : Simplesmente Poesia. Aguardo sua presença e obrigada pela visita !

16 comentários:

  1. quando a gente se vira, tudo fica com mais sabor...
    bjs!

    ResponderExcluir
  2. Breve ms cheia de criatividade.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  3. Quando leio poesia viro as palavras do avesso e procuro sentimentos.
    Abanos as rimas e encontro sinfonias.
    Na virada das palavras encontro o que não procuro, e raramento o que procuro encontro.

    ResponderExcluir
  4. Úrsula... (sem palavras para comentar seu poetar!)

    Por isso, vou tentar resumir o que sinto em uma única palavra: PERFEITO!

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Úrsula, tudo bem? Vi seu recado no Castelo e vim agradecer a atenção. Você viu meu blog também?? Bom, pois é, de repente vamos cobrir o lançamento do livro sim. Deixei um recado no face. Confere e me retorne por gentileza. A propósito, adorei seu poema hoje. Eu tinha um projeto semelhante com a Andreza Nazareth onde dividíamos artes plásticas e literatura e se chamava Versos e Traços. Bem, aguardo resposta. Beijo!!

    João Lenjob.

    ResponderExcluir
  6. Mover as palavras, virar a terra do poema - tão bonito, Úrsula!

    Beijo.

    ResponderExcluir
  7. Poema lindo! E ponto!!!
    Bjão, Ursula!!!

    ResponderExcluir
  8. Olá Úrsula!

    Como é bom receber sua visita e seu comentário!
    É uma virada de dia. O Sol nasce novamente. Parece que a vida começa tudo de novo.
    Sempre uma virada de experiência!
    Parabéns por fazer-nos concatenar as nossas idéias!

    Um abraço, Úrsula!

    ResponderExcluir
  9. Quantas vezes nos transformamos durante os dias. Especialmente no fim de cada um deles. Sementes - a renascer nos dias seguintes... Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Querida Ursula...

    encantei-me!

    ResponderExcluir
  11. Lindo, Úrsula!

    De uma criatividade fantástica. É verdade que nos reviramos várias vezes. Muitas por esperar que na próxima "virada" as coisas melhorem!

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  12. Com as ideias, o buraco é mais embaixo, e mais profundo.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  13. Poesia da pá virada!

    Beijo, formosura.

    ResponderExcluir
  14. belo esse poema! Tão importante é saber virar pelo avesso, enxergar por dentro, por detrás, por debaixo do banal...

    um grande beijo, Úrsula!

    ResponderExcluir
  15. Obrigada de coração a todos e todas que aqui registraram seu comentário. Um abraço afetuoso a cada um (a).

    ResponderExcluir