terça-feira, 24 de julho de 2012

Amar é o verbo


urge o voo
de algo indecifrável
contrai veias
abre poros
ora taquicardia
ora quietude
vento sacode
as rimas que invento
em versos explode
meu intento
      .
      .
      .
amar, amar, amar

Úrsula Avner

* imagem retirada do Google


11 comentários:

  1. Ficou tão mais bonito o dia!!!!!!!!!!!

    Morro de saudade de ler vc!

    Poema lindo, lindo!

    Bjos, amiga querida :)

    ResponderExcluir
  2. Urge,o amor
    para acalmar a dor
    de um coração sem batida.

    Bjs!

    ResponderExcluir
  3. [urge o corpo que o guarda,

    para devolver intacto,
    o verbo, a alma, o todo.]

    um imenso abraço, Úrsula

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  4. Estava com saudade de teus poemas, Úrsula.

    E esse é bom demais.

    Beijo beijo.

    ResponderExcluir
  5. Essa urgência tão nobre em amar, não? Lindo, lindo!!! Eu amei, parabéns! abraços

    ResponderExcluir
  6. Maravilhoso, gosto demais de teus poemas!

    beijos

    ResponderExcluir
  7. Ùrsula,

    Tua poesia encanta sempre!

    Convido a conhecer meu outro espaço DIÁLOGOS COM A PSICOLOGIA E PSICANÁLISE.
    http://anafariaspsicologa.blogspot.com.br/

    Beijos,

    ResponderExcluir
  8. Querida, que bom que voltou a nos presentear com a tua bela poesia.

    Beijo, Úrsula.

    ResponderExcluir