terça-feira, 3 de agosto de 2010

* João- de- barro *

foto : Marcelo Cazani

João não perdeu tempo
fez sua casa de barro
trabalhou duro
embrenhou-se lá dentro
seguro
morreu de velho

Úrsula Avner

14 comentários:

  1. [e seguro mesmo é que tempo que morrerá de velho é o que trazemos dentro do nosso saco: sacro o tempo que se alimentará para além de nós]

    um imenso abraço, Úrsula

    Leonardo B.

    ResponderExcluir
  2. E construiu com barro , elemento tão simples da natureza ...
    Excelente !
    Bjs sulinos

    ResponderExcluir
  3. Um belo jogo de palavras. Um clichê tão bem usado: "o seguro morreu de velho" O joão-de-barro, uma imagem linda. Beijo

    ResponderExcluir
  4. LINDO...
    COMO SEMPRE!!!
    ADORO VOCÊ E SUAS POESIAS!!!!
    VOCÊ É D+!!!
    TE AMO!!
    BJS DA SUA FILHINHA CAÇULA!!!

    ResponderExcluir
  5. Úrsula,

    Formidável! adorei a metáfora. Perfeito.
    Boa semana, bjs

    ResponderExcluir
  6. Úrsula

    Certo ele... rsrs!
    Linda a tua percepção poética!

    Bjinhos

    ResponderExcluir
  7. O João-de-barro é um camarada muito conformado... Se eu fosse um pássaro com certeza não seria João-de-barro, porém, sua dedicação é de admirar! Mas, lindo mesmo é esse teu poema, poetiza que manja do babado das rimas faz versos lindos tanto com Joões-de-barro quanto com sei lá... Morcegos que sejam!

    Parábens pelo livro! Todas vocês merecem!

    Um abraço!

    ResponderExcluir
  8. O aninhar parece tão reconfortante que às vezes nos embrenhamos sem volta nele.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  9. Lindo demais, Úrsula!

    O barro como elemento criador e ele João se aninha em tua poesia.

    Poetisa, este está belo !

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  10. Querida Poeta!

    Que grande exemplo do João!
    Sem trabalho nada se constrói...

    Um abraço!
    AL

    ResponderExcluir
  11. Linda demais, pássaro inteligente, não perdeu sua casa, trabalhou e construiu seu sonho, sua casa.

    ResponderExcluir
  12. João sabe a quê veio!

    Tu teces metáforas primorosas...

    Beijos, lindura!

    ResponderExcluir
  13. Que se forme em nós...
    Todo e qualquer João de barro..
    Exemplo de amor...Eterno..E tem que ser sincero..
    Bom seu texto..

    ResponderExcluir