terça-feira, 10 de agosto de 2010

* Refluxo *

talhou desejo
de abraçar o sol
hoje sou noite
sem estrelas
beija-me oscilante brisa
que insiste em praguejar
corta uma folha perdida
talho de amor

Úrsula Avner

16 comentários:

  1. Entre duas acepções possíveis do talhar, um sutil atalho poético. Creio que nunca ouvi a brisa praguejar senão aqui; bela imagem.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Maravilhosoooooooooooooooooo!bjssssss e saudades

    ResponderExcluir
  3. Delicado e ardido, como corte de folha em dedo ressecado.

    Beijos, flor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Querida Ursula! Você falou em sensibilidade nos poemas do lado de cá...aqui é tudo muito lindo, muito delicado e extremamente sensível! Que bom poder te acompanhar! Ah, vi agora que temos a mesma profissão! Bjos, com carinho.

    ResponderExcluir
  6. Sensível e lindo, Úrsula!

    "talho de amor"! Uma imagem poética e tanto. Sempre que há um talho, há dor.

    Mas não aqui no seu espaço, onde a beleza flui.

    Beijos

    Mirze

    ResponderExcluir
  7. Beijão para ti e desculpa a minha ausência ...o que fazer para te agradar????
    Pensei...pensei...e resolvi me esquentar desse frio terrível(que está fazendo no meu sul amado),aqui no teu blog...é onde eu encontro sempre aconchego,calor,ternura e muito sentimento!
    Na bagagem estão minha escova de dentes,sabonetinho,perfume,calcinha...suti,não...pois eles ainda são firmes e fartos...heheheeeeee...batonzinho BOKA LOKA,da cor do pecado;fitinhas para meus cachinhos loiros dourados(alguns com a cor azul,como são azuis meus olhos azuis da cor azul do céu do meu BRASIL\o/uhuuuuuuu\o/),meus saltinhos de pedrinhas de brilhantes...risadas,amor e ternura.
    Roupas?
    Joguei um vestidinho de seda e um casaquinho de lã sobre meu corpinho...fiufiiiuuuuuuuu...vendo-me tremer,vais me abraçar forrrrrteeeeeeee!
    Acabei de decidir:
    Não vou mais...quero que sintas saudades de mim e me implores para eu aparecer de vez em quando em tua vidinha!
    Já imaginou tu enjoar de mim?
    Nananinãonão...vou fazer minha morada em teu coração.
    E não adianta trancar a entrada dele,porque me agarro pelo lado de fora e não desgrudo de jeito nenhum...huaschuaschuasch...
    Sei que sou um chute nos fundilhos...mas fazer o que se sou vidrada por tu,meu tatuzinho?????
    Ôôô...reparou o quanto já escrevi????
    Será que todo mundo vai ler???
    Fica feliz...assim a porcentagem de aceitação de teu blog vai aumentar...rsrsrsrs...viu como até nisso eu penso,só para te agradar???
    Bem...como já me esquentei no teu cantinho e me banhei com a tua luz...eu vou,mas eu volto...quem sabe voando... e não adianta arrancar minhas asinhas só para eu ficar longe de ti...huaschuaschuasch...pois eu sou terrível \o/ uhuuuuuuuu \o/...venho montada na vassourinha mesmo...huaschuaschuasch...

    ResponderExcluir
  8. Úrsula, admiro muito, já lhe disse, a sensibilidade que você expressa em seus escritos. E o modo conciso e perfeito do seu fazer poético.

    Amei ler o seu "Refluxo".

    Bjs e inté!

    ResponderExcluir
  9. Suas imagens são dessas a que não se pode senão admirar e curtir muito.

    Beijo,Úrsula.

    ResponderExcluir
  10. Úrsula

    O amor tb sabe fazer doer, infelizmente!


    Tua escrita é suave mesmo falando de coisas profundas! Gosto demais!


    Bj grande, minha amiga!

    ResponderExcluir
  11. Lindas palavras!
    Muito agradável seu blog!

    Beijos, flor!

    ResponderExcluir
  12. belíssimas construções, Úrsula!

    Um bjo,

    Talita
    História da minha alma

    ResponderExcluir
  13. Olá querida poeta, que lindos seus versos!
    Bjs pra vc minha amiga!
    Gena

    ResponderExcluir
  14. Para quem ama, poucas palavras dizem tudo !!!
    Lindo Post.

    bjssss

    ResponderExcluir
  15. Obrigada de coração a cada amigo e amiga que por aqui passou e deixou sua mensagem de carinho. Um abraço afetuoso a cada um e cada uma.

    ResponderExcluir