segunda-feira, 28 de setembro de 2009

* Enfado *


tela : Mirza Boleiro


palavras crespas

borbulham na mente

quando o sol se apaga


lembranças espessas

são guizo de serpente

quando a noite se propaga


Úrsula Avner


* Obrigada por sua presença !

18 comentários:

  1. Guizos de serpente... Ótimo!
    Como sempre, maravilhosa!!!

    Abraços, poetisa!

    ResponderExcluir
  2. quando eu era criança, eu também me angustiava com o cair da tarde.

    ;***
    marcos

    ResponderExcluir
  3. Lindíssimo!

    è de arrepiar mesmo!

    Parabéns, Úrsula!

    Beijos

    Mirse

    ResponderExcluir
  4. Úrsula

    Lindas as tuas imagens poéticas...

    Bj e boa noite!

    ResponderExcluir
  5. Sonoro, poema sonoro e belo!

    Abraços e boa semana!

    ResponderExcluir
  6. Oi Úrsula! Passando para aprender mais um pouquinho. Lindo poema. Pequeno na estrutura, porém, gigante na profundidade. Parabéns!

    Ah! Acho que vou passar mais vezes por aquí.

    Beijos,

    Furtado.

    ResponderExcluir
  7. Verdade... a noite as lembranças fazem mais barulho...

    ResponderExcluir
  8. Minha Linda.
    Deixei um carinho para vc. no blog da Curiosa. Passe lá.
    No Blog Meus Mimos, tem um cartão de amigos. É seu. Vem buscar.
    Com carinho
    Sandra

    ResponderExcluir
  9. ai, as lembranças :s

    que imagem bonita.

    beijo.

    ResponderExcluir
  10. Úrsula,

    Imagens perfeitas...os pensamentos se tornam bem mais efervescêntes à noite. Agitam-se os sentimentos, como gizo de serpente. Amei!
    Bjão

    ResponderExcluir
  11. Linda poesia.

    metáforas inteligentes e precisas. Adorei.

    Estarei sempre por aqui...estou de volta à blogosfera, por sinal, meu blog está atualizado.

    grande beijo

    ResponderExcluir
  12. A espessura das lembranças a anoitecer-nos a alma...
    Beijos.

    ResponderExcluir
  13. Oi Úrsula,
    encontrei o teu recanto e fiquei encantada com teus versos. Amei! Já adicionei teu link no meu blog.
    Beijos,
    Paola

    ResponderExcluir
  14. Tão poucas e tão muitas amigas..que as tuas palavras nos enche sempre..


    Ademerson Novais de Andrade

    ResponderExcluir
  15. Este cair da tarde nos angustia. Lembranças ancestrais, talvez... Beijos.

    ResponderExcluir
  16. Genial, Úrsula.
    Me emocionou muito.
    Parabéns!

    Bjo. :)

    ResponderExcluir