segunda-feira, 2 de novembro de 2009

* Quando amanhece em mim *


Quando em mim amanhece
sereno é o fôlego da reflexão
que meus sentimentos aquece
salpicado de luz pulsa o coração

vontades e segredos destelhados
são como o sol em céu crepuscular
vago pelas vigas dos meus sobrados
desponta alvorada no olhar

nas trilhas que o destino esculpiu
não sei o quanto de mim ficou
cimentado nas lacunas do tempo
e o quanto de mim encontrou

liberdade nas espirais do vento
não sei na inteireza
o que do meu ser fluiu

sei apenas que
quando amanhece em mim
flores aromáticas espocam na alma
borboletas coloridas bailam
com admirável elegância e calma

Úrsula Avner

* imagem do Google- sem informação de autoria

* poema com registro de autoria

17 comentários:

  1. Que bello pasar y leer tu poesía.. es magnifica..

    Un beso

    Un abrazo
    Con mis
    Saludos fraternos de siempre..

    Que disfrutes de una semana maravillosa..

    ResponderExcluir
  2. Lindo, Úrsula, como o voo das borboletas, as mais coloridas, como um amanhecer na praia. Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Adolfo,

    obrigada por sua presença sempre amável. Um abraço.

    Adriana,

    sua visita e comentário me alegram. Bj no coração.

    Úrsula

    ResponderExcluir
  4. Úrsula

    Que delícia é "amanhacer-se" entre flores, aromas e borboletas...
    Tua poesia flui assim tb, com elegância e calma!

    Lindo com sempre!
    Gostei demais...

    Bjs e uma semana tão colorida como as asas de uma borboleta pra ti!

    ResponderExcluir
  5. "Quando a última árvore tiver caído, quando o último rio tiver secado, quando o último peixe for pescado, a humanidade vai entender que dinheiro não se come "

    ResponderExcluir
  6. Belíssimo!

    Quisera todo amanhecer fosse assim, sempre para ti, amiga!

    à flor da pele, emoção e lirismo!

    Beijos

    Mirse

    ResponderExcluir
  7. Úrsula,
    Com esse amanhecer o dia fica mais feliz.E sentimentos bonitos te inspirou pra compor esse poema.
    Bonita escolha da imagem também.
    meus abraços

    ResponderExcluir
  8. Que belos sentimentos por aqui fluem, tal como uma borboleta que espalha sonhos... assim é a poesia com que nos brinda.

    Parabens adorei
    beijinho
    Gallobar

    ResponderExcluir
  9. Querida Wania,
    é sempre motivo de alegria receber sua adorável visita. Obrigada pelo carinhoso comentário ;

    Papo,
    obrigada por sua visita ao meu cantinho. Um abraço ;

    Mirse,

    seus comentários sempre me alegam. Obrigada pela presença e gentileza. Bj com carinho;

    Lis,

    você é muito delicada em seus comentários. Agradeço seu carinho. Bj ;

    Antonio,

    fiquei muito feliz com seu comentário tão amável. Obrigada de coração. Um abraço.

    Úrsula

    ResponderExcluir
  10. Úrsula,

    a ilustração combinou com a delicada sensualidade do poema.

    ResponderExcluir
  11. Doce amanhecer de alma, linda poesia como só vc sabe escrever! beijocassssssssss

    ResponderExcluir
  12. Marcos,

    agradeço o carinho de sua visita e comentário. Um abraço ;

    Querida Paula ( poesia do bem) ;

    é sempre muito bom receber sua viita e afago. Bj,

    Úrsula

    ResponderExcluir
  13. Úrsula,
    Vontades e segredos destelhados... essa é sua alma generosa e poeta. Obrigada, por encantar minha alma. Bjs

    ResponderExcluir
  14. Seus versos são deliciosos.
    Beijo, meu amor !

    ResponderExcluir
  15. Oi Ira,

    é sempre um prazer te receber em meu cantinho. Obrigada por seu carinho. Bj ;

    Cris,

    agradeço sua presença amável em meu espaço pético. Bj,

    Úrsula

    ResponderExcluir
  16. Cara poetisa um mimo de poema como são mimosas as borboletas em um jardim.

    Parabéns.

    J.A.Botacini

    Zezinho.

    ResponderExcluir